Search




ÍNDICE

(tick) Orientação atualizada conforme o CNCGJ/2020.

1. Materialização de Processos

A Materialização dos autos consiste em fazer a impressão e autuação do processo, retirando-o do fluxo de trabalho digital. 

A ferramenta encontra previsão no art. 286, do Código de Normas da CGJ e no art. 31 do Provimento nº 305/2014, do CSM.


INFORMAÇÃO

Materialização é diferente de impressão de autos, conforme considera o Código de Normas da CGJ:

Art. 257. Para fins de aplicação deste Código considera-se:

(...)

XIII - impressão: ato de reproduzir cópias do processo digital ou dados relativos a este em papel;

XIV - materialização: procedimento utilizado no sistema para indicar que o processo digital passa a tramitar em meio físico;


A Materialização de Processos Eletrônicos se faz necessária, por exemplo, nos casos de remessa definitiva a outras justiças que não disponham de sistema compatível (art. 286, 41º, do Código de Normas da CGJ).

A partir da Materialização, a expedição de quaisquer documentos, bem como protocolos de petições, serão realizados da forma física.


DICAS IMPORTANTES!

→ Antes de efetuar a Materialização do Processo, o usuário deverá encerrar todas as pendências porventura existentes. Isso não significa apenas encerrá-las. É preciso, efetivamente, regularizar a situação do processo (ex: juntar as petições, os documentos expedidos deverão ser confirmados; corrigir classe e assunto de acordo com a tabela do CNJ, excluir documentos pendentes de finalização e que não precisam figurar nos autos, etc.).

→ Os processos que estiverem nas filas de conclusão, vista ou intimação só poderão ser materializados após o retorno dos autos;

Para auxiliar no encerramento de pendências, verificar procedimentos descritos na Orientação Digitalização do Acervo Físico.


A ferramenta Materialização de Processos Virtuais está disponível no Menu Cadastro:

Com a janela da ferramenta aberta, o usuário deve informar o número do processo que será materializado (1), e clicar em "Salvar" (2):

Após a confirmação com a senha do usuário, o sistema automaticamente tornará o processo físico, excluirá de eventuais filas paralelas em que estiver copiado, deixando apenas uma cópia na fila 9052 - Ag. Impressão.

Esta fila não possui movimentação vinculada ("50541 - Materialização do processo") e foi configurada para receber automaticamente os processos que são materializados para impressão das peças.

IMPORTANTE!

O servidor JAMAIS deverá mover processos eletrônicos manualmente para a fila 9052 – Ag. Impressão. Trata-se de fila de trânsito automático de processos e não deve ser utilizada para outra finalidade que aquela para a qual está configurada. Mover processos para ela, manualmente, é uma das causas de retenção indevida nesta fila. 


Nesta fila, basta que o usuário selecione o processo desejado e acione o botão de Atividade "Imprimir Peças" (1).

Após a impressão o processo físico será retirado do fluxo de trabalho (2).

OBSERVAÇÕES!

Caso não seja necessária a impressão dos autos, mas tão somente a simulação da impressão ou a impressão em PDF do processo, vide item 2.

1.1. Emissão da Certidão de Materialização de Processos e Intimação das Partes

Após a impressão e autuação dos autos físicos, o usuário emitirá uma certidão no processo, com a informação:

  • da origem dos documentos impressos, bem como a forma pela qual o banco de dados poderá ser acessado para aferir a autenticidade das peças e das respectivas assinaturas digitais (art. 286, §2º, do Código de Normas da CGJ);
  • de que a partir daquela data, os autos passam a tramitar no formato físico, e que o peticionamento deverá ser encaminhado ao serviço e protocolo do fórum.

A materialização de autos depende de determinação judicial e sua execução compete ao Escrivão ou Chefe de Cartório que deverá cientificar as partes, por meio do Diário da Justiça Eletrônico, da conversão dos autos para o novo formato e que, a partir da conversão, o peticionamento será exclusivamente físico (§1º do art. 286, do Código de Normas da CGJ).

Nos casos em que o processo será materializado para remessa definitiva a outro Juízo, a ciência às partes acerca da materialização deverá ocorrer na mesma oportunidade em que forem intimadas da decisão que determinou a remessa definitiva dos autos (§5º do art. 286,  do Código de Normas da CGJ).

2. Simulação de Impressão

Caso a impressão dos autos já tenha sido feita antes da utilização da ferramenta de materialização, ou se for necessária apenas a impressão em PDF do processo, basta que o usuário faça uma simulação de impressão, configurando a impressora em PDF (Primo PDF ou PDF Creator):

a) Para configurar a impressora de forma que fique como padrão no SAJ, basta acessar o menu Relatórios (1)→ Submenu Etiquetas (2)Autuação (3):

b) Na tela Emissão de Etiquetas de Autuação, clicar no botão Configurar (1) → a seguir, na seta da caixa de seleção (2) → selecionar o gerador de PDF (3) de costume (PrimoPDF, PDFCreator, Microsoft Print to PDF, etc) → Finalizar clicando no botão OK (4):

3. Regularização dos Processos retidos na fila "Ag. Impressão"

Para os casos em que o processo não foi excluído da fila, mesmo após o cumprimento das etapas acima, o usuário deverá verificar os procedimentos descritos na orientação Regularização dos processos retidos na fila "9052 - Ag. Impressão".


(warning) Evite impressões, consulte sempre o GPS. Orientação sujeita a alterações.



ORIENTAÇÕES RELACIONADAS